Bibliografias Sugeridas > Para profissionais - Fluência sem Alterações

Análise e Modelamento Prosódicos da Fala


Plínio Almeida Barbosa (org), Cadernos de Estudos Lingüísticos 43, 2002. Maiores informações.

1. Temporal organization of speech utterance: a C/D model perspective (Osamu Fujimura)
2. Learning the hidden structure of speech: from communicative functions to prosody (Gerárd Bailly & Bleike Holm)
3. Entraining speech with speech and metronomes (Fred Cummins)
4. Explaining Brazilian Portuguese resistance to stress shift with a coupled-oscillator model of speech rhythm production (Plínio A. Barbosa)
5. How long is a stress group? (Michael O’Dell & Tommi Nieminen)
6. An acoustic study of phonological phrases containing sequences of words with adjacent primary-stressed syllables: does stress shift occur in Brazilian Portuguese?
7. Considerations on some aspects of the relationship between intrinsic and extrinsic time in two 4-year-old-children’s and one adult’s speech for duration in Brazilian Portuguese (Aglael J. A. Gama-Rossi)

Gramática do Português Culto Falado no Brasil


Vol. I: Construção do texto falado
Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran & Ingedore Grunfeld Villaça Koch (org), Editora UNICAMP, 2006

A principal característica deste primeiro volume da Gramática do Português Culto Falado no Brasil é a de ter-se voltado para o estudo do texto falado, até então não contemplado nas gramáticas produzidas no país. Na abordagem do plano textual, foram privilegiados os processos de construção do texto que mostram a produção local e momentânea da fala. Assim, são tratados fenômenos como hesitação, interrupção, repetição, correção, paráfrase, inserção, segmentação, com o propósito de salientar que eles não podem ser avaliados de forma negativa, como perturbadores da fluência da fala. Pelo contrário, são constitutivos do texto falado, com funções importantes para o estabelecimento da comunicação entre os interlocutores. São também focalizados fatos concernentes ao relevo informacional, à referenciação, ao par pergunta-resposta, aos marcadores discursivos e à organização tópica do texto falado, sempre sob a perspectiva de sua funcionalidade na elaboração do texto, com vistas a assegurar a comunicabilidade. O fio condutor desta obra - construção do texto falado - é, portanto, a concepção de linguagem como interação social (Clélia Cândida A. Spinardi Jubran). Maiores informações.

Apresentação (Ataliba Teixeira de Castilho)
Introdução - A perspectiva textual-interativa (Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran)

Parte 1: DA NATUREZA DO TEXTO FALADO
1. Especificidade do texto falado (Ingedore Grunfeld Villaça Koch)
2. Fenômenos intrínsecos da oralidade
I. Hesitação (Luiz Antônio Marcuschi)
II. Interrupção (Maria Cecília Pérez de Souza e Silva & Mercedes Fátima de Canha Crescitelli)

Parte 2: ORGANIZAÇÃO TÓPICA DO TEXTO FALADO
3. Tópico discursivo (Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran)
4. O par dialógico pergunta-resposta (Leonor Lopes Fávero, Maria Lúcia da Cunha Victorio de Oliveira Andrade & Zilda Gaspar Oliveira de Aquino)
5. O relevo no processamento da informação (Luiz Carlos Travaglia)

Parte 3: ESTRATÉGIAS DE CONSTRUÇÃO TEXTUAL
6. Repetição (Luiz Antônio Marcuschi)
7. Correção (Leonor Lopes Fávero, Maria Lúcia da Cunha Victorio de Oliveira Andrade & Zilda Gaspar Oliveira de Aquino)
8. Parafraseamento (José Gaston Hilgert)
9. Parentetização (Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran)
10. Tematização e Rematização (Ingedore Grunfeld Villaça Koch)
11. Referenciação (Luiz Antônio Marcuschi & Ingedore Grunfeld Villaça Koch)

Parte 4: MARCADORES DISCURSIVOS
12. Traços definidores dos marcadores discursivos (Mercedes Sanfelice Risso, Giselle Machline de Oliveira e Silva & Hudinilson Urbano)
13. Marcadores discursivos basicamente seqüenciadores (Mercedes Sanfelice Risso)
14. Marcadores discursivos basicamente interacionais (Hudinilson Urbano)

Incursões em torno do ritmo da fala


Plínio Almeida Barbosa, Pontes Editores, 2006, 560 páginas.

Incursões em torno do ritmo da fala intitula uma obra que nasceu com uma missão já predestinada: tornar-se um clássico da literatura fonética. (Sandra Madureira). Maiores informações.

Sumário do livro:
1) Um modelo dinâmico do ritmo da fala: diagrama e justificativa
2) Do ritmo como regularidade: o atrator silábico
3) Do ritmo como estruturação: o atrator acentual
4) Da interface entre ritmo e sintaxe
5) Do acoplamento entre prosódia e segmentos
6) Do modelamento do ritmo da fala
7) Le temps (métrique) retrouvé
- Programas desenvolvidos em Praat e MatLab
- Estatística descritiva de duração de fones
- Corpora empregados na pesquisa
- Índices de coesão entre constituintes previstos e produzidos

Perfil da Fluência da Fala:
parâmetro comparativo diferenciado por idade para crianças, adolescentes, adultos e idosos


Claudia Regina Furquim de Andrade, 1 CD, Editora Pró-Fono, 2006.

O objetivo inicial deste estudo foi o de obter o perfil da fluência da fala em indivíduos fluentes, sem qualquer tipo de queixa de gagueira (atual ou pregressa) quanto aos aspectos de: tipologia das disfluências; velocidade de fala (fluxo de palavras e sílabas por minuto) e freqüência de rupturas (número de disfluências por minuto e porcentagem de disfluências gagas). O estudo foi realizado com 594 participantes, de ambos os sexos, em todas as faixas etárias. A relevância dessa pesquisa é ampla e atingiu plenamente seu objetivo permitindo um grande avanço em termos de perspectivas de normalidade, por oferecer os valores de referência - dos vários aspectos que compõe a fluência da fala nos diferentes segmentos etários. Maiores informações.

1. Folha de Rosto, Ficha Catalográfica e Resumo da Pesquisa
2. Apresentação
3. Método
4. Crianças
5. Adolescentes
6. Adultos
7. Idosos
8. Fundamentação Bibliográfica

 

   
Voltar

"Instituto Brasileiro de Fluência - IBF" 
Rua Urussuí, 71, 11º andar, cj. 112, Itaim Bibi, São Paulo, SP, 04542-050.
Para profissionais - Fluência sem Alterações - Bibliografias Sugeridas - Instituto Brasileiro de Fluência - IBF. Gagueira levada a sério