Releases > POESIAS DE LAURA BRANDÃO - ANTOLOGIA

A revolucionária Laura Brandão, exilada do Brasil, chegava à URSS na mesma época em que Boris Nikoláievitch Yeltsin nascia. Era o ano de  1931. Locutora da Rádio Central de Moscou, lutou, com denodo e singular heroísmo, contra as tropas nazistas que chegavam às portas da capital da então União Soviética.

A história dessa poetisa carioca é fantástica e mereceria a produção de mais livros, filmes e documentários. Ela foi a primeira mulher brasileira a lutar pelos direitos femininos em nosso país e está entre as 50 mais célebres da nossa história.

A produção poética dessa talentosa mulher é um canto ao Rio de Janeiro, ao Brasil e à humanidade. Produziu hinos e sonetos de acendrado amor ao belo, à natureza e a tudo que harmonizava na sua vida entre figuras como Olavo Bilac, Augusto dos Anjos, Coelho Neto, Rui Barbosa, Tarsila do Amaral e se segue.

Mas Laura Brandão não conseguiu contemplar a derrota hitleriana, nem tão pouco repousar na sua baia de Guanabara. Falecida em 1942, em Ufá, na Basquíria, nas encostas ocidentais dos montes Urais, seu corpo por lá repousou por alguns anos, numa gélida região de 60 graus abaixo de zero. Em 1965, os restos mortais de Laura Brandão foram trasladados de Ufã para Moscou, sendo sepultada no cemitério de Novodevitchi, onde heróis, intelectuais e figuras renomadas da Rússia lá estão. Ao lado destes todos, a heroína brasileira, exilada da era Vargas.

Em 2007, aos 76 anos de idade, morreu Yeltsin. Desejou Boris Yeltsin ser sepultado no cemitério histórico de Novodevitche, ao lado das grandes personalidades da Rússia. E como uma coincidência pelos valores da grandeza de luta, de espírito humanístico e de desprendimento, está ele, hoje, no mesmo local onde a nossa fantástica poetisa carioca Laura Brandão era idolatrada pelo povo russo.

Mas aqui apresento sua obra, na espera de patrocinadores à edição de uma antologia. Será para resgatar um pouco mais a memória da mulher que deu tudo de si pela educação, pelo humanismo, pelo seu idealismo e pela sua pátria tão distante.

 

SINOPSE

OBRA: POESIAS DE LAURA BRANDÃO (ANTOLOGIA)

ORGANIZADOR: J. R. Guedes de Oliveira

NO. DE PÁGINAS: 320

CAPA:  O rosto de Laura Brandão (foto)                                      
                                            
ORELHAS: Pequenos  depoimentos  de figuras célebres que  conviveram com Laura Brandão: Rui Barbosa, Olavo Bilac, Raimundo Correa, Augusto dos Anjos, Coelho Neto, José Oiticica, Tarsila do Amaral, Júlia Cortines, Nestor Victor, Aurélio de Figueiredo, Silva Ramos, Alberto de Oliveira, João Ribeiro, Alberto Faria, Hermes Fontes, Fidelino de Figueiredo, Tasso da Silveira, Alfredo Brandão, Emiliano Pernetta, Dolores Ibárruri e outros.

CONTRACAPA: Depoimento de José Oiticica, elogiando a poetisa.

NOTAS PRELIMINARES:  Pelo organizador.

BIBLIOGRAFIA: Uma bibliografia produzida pela crítica sobre a figura de Laura Brandão.

BIOGRAFIA: Relato da vida da poetisa, por Octavio Brandão.

ANTOLOGIA: A presente antologia é composta das seguintes obras de reduzida tiragem: Poesias (1915), Imaginação (1916), Meia Dúzia de Fábulas (1917), Serenidade (1918) e Poesias Avulsas (de 1919 a 1942) e resgatadas pelo autor.

LAURA BRANDÃO: nascida no Rio de  Janeiro em 1891 e falecida em Ufá (Rússia) em 1942. Seu nome de origem: Laura da Fonseca e Silva. Heroína da Rússia, humanista, educadora, ativista revolucionária, uma das primeiras mulheres brasileiras a lutar pelos direitos femininos. Foi locutora da Rádio Central de Moscou. Está entre as 50 mulheres mais célebres da História do Brasil. Era casada com o escritor Octavio Brandão.

 

DESTINO DA VENDA DOS EXEMPLARES

Pelo que dispõe a Lei no. 9610/98 - dos Direitos Autorais, transcorrido 70 anos após a morte de Laura Brandão, seus escritos caem no domínio público.

Todo lucro arrecadado da venda do livro serão direcionados para os projetos sociais, filantrópicos e de benemerência do INSTITUTO BRASILEIRO DE FLUÊNCIA, entidade credenciada pela OEA (Organização dos Estados Americanos).

Qualquer valor deverá ser depositado na conta bancária do IBF:

BANCO BRADESCO S.A.
Correntista: Instituto Brasileiro de Fluência - IBF
Agência no. 3315-4
C/C no. 6446-7


Contato: JOSÉ ROBERTO GUEDES DE OLIVEIRA
E-mail: guedes.idt@terra.com.br


          

   
Voltar

"Instituto Brasileiro de Fluência - IBF" 
Rua Urussuí, 71, 11º andar, cj. 112, Itaim Bibi, São Paulo, SP, 04542-050.
POESIAS DE LAURA BRANDÃO - ANTOLOGIA - Releases - Instituto Brasileiro de Fluência - IBF. Gagueira levada a sério